segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Blindness / Ensaio sobre a cegueira







Sinopse
Uma cidade é devastada por uma epidemia instantânea de "cegueira branca". Face a este surto misterioso, os primeiros indivíduos a serem infectados são colocados pelas autoridades governamentais em quarentena, num hospital abandonado. Cada dia que passa aparecem mais pacientes, e esta recém-criada "sociedade de cegos" entra em colapso. Tudo piora quando um grupo de criminosos, mais poderoso fisicamente, se sobrepõe aos fracos, racionando-lhes a comida e cometendo actos horríveis. Há, porém, uma testemunha ocular a este pesadelo: uma mulher, cuja visão não foi afectada por esta praga, que acompanha o seu marido cego para o asilo. Ali, mantendo o seu segredo, ela guia sete desconhecidos que se tornam, na sua essência, numa família. Ela leva-os para fora da quarentena em direcção às ruas deprimentes da cidade, que viram todos os vestígios de uma civilização entrar em colapso. A viagem destes é plena de perigos, mas a mulher guia-os numa luta contra os piores desejos e fraquezas da raça humana, abrindo-lhes a porta para um novo mundo de esperança, onde a sua sobrevivência e redenção final reflectem a tenacidade do espírito humano.
in"CinemaPTGAte"
Opinião
Adaptação da magnífica obra literária de Saramago "Ensaio Sobre a Cegueira".
Como acontece na maioria das adaptações ao cinema de obras literárias, também este filme não se cola ao livro, quanto a mim são dois mundos distantes tocados apenas por um fio condutor, o argumento.
O filme é bom e retrata o pior da humanidade em situações de crise, contudo, pega no argumento do livro, carrega no acelerador e, nas partes finais, omite muito da obra que julgo essencial para se passar a mensagem completa.
De salientar o facto do elenco ser de luxo, apesar de eu achar que algumas interpretações ficam muito aquem do habital, entre elas a de "Gael Garcia Bernal".
Acho que vale enquanto filme e falha enquanto adaptação de obra literária.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Rovdyr







SINOPSE
Verão de 1974, quatro jovens amigos, Camilla e seu namorado Roger, além de Mia e seu irmão Jørgen, planearam um relaxante fim de semana acampados na mata. Depois de um longo percurso numa região no meio do nada, eles começam a perceber que podem estar no caminho errado. Ao parar numa estação de serviço, os jovens tentam comunicar-se com o pessoal da região a fim de se localizarem. Ao sairem do local, dão boleia a uma desconhecida que, depois de um tempo de passeio, pede que eles parem o carro. Ela está assustada. Alguém está lá fora. Alguém que os quer apanhar.
Os jovens perdem a consciência e acordam no meio da mata. Não há nada ao redor, apenas árvores escuras. Mas, alguém está caçando por lá...e eles são as presas.
Os novos acontecimentos farão com que eles revejam os seus conceitos, e façam diversas escolhas para salvar a própria pele. É uma questão de sobrevivência...custe o que custar.

OPINIÃO

Filme Norueguês que explora o universo slasher. Imagine que Leatherface decidiu passar umas férias na Noruega convidando alguns amigos e deixando de lado a moto-serra, se imaginou acabou de construir o argumento deste Rovdyr.
Apesar de o conceito não ser original, é sempre bom ver este género cinematográfico a vingar pela Europa, apesar de continuar a ser considerado cinema "de segunda" (para não dizer de terceira), Pelo que tenho observado acho que o género "terrorifico" está a ganhar terreno na Europa.
Uma mais valia do filme são as cenas cruas dotadas de um realismo impressionante.
Afinal da Noruega não vem só o bacalhau... por vezes alguns bons filmes também dão à costa.
Takk for norsk film.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Max Payne







SINOPSE
Baseado nos lendários e interactivos jogos de vídeo, Max Payne conta a história de um polícia desertor (Mark Wahlberg) que está determinado a encontrar o responsável pelo brutal assassinato da sua família e parceiro. Unindo-se a uma assassina (Mila Kunis) disposta a vingar-se da morte da irmã, esta dupla vai ser perseguida pela polícia, pela máfia e por uma corporação sem escrúpulos. Cego pela vingança, a sua obsessiva investigação leva-o numa viagem terrível por um mundo de trevas. Assim que o mistério se adensa, Max é forçado a lutar com inimigos para além do mundo natural e lidar com uma traição impensável.
IN "http://cinema.ptgate.pt/filmes/6333"

OPINIÃO

Já à bastante tempo que não via um filme tão mau. Geralmente o resultado que se espera por adaptações de videojogos ao cinema são maus filmes, mas acho que este abusa...
O enredo é confuso e sem nenhum fio condutor (será que os adeptos do jogo me poderiam "elucidar"? ou eu perdi o fio à meada por ter adormecido a meio?...).
O que salva este tipo de filmes são os resultados do largo orçamento reflectidos em boa fotografia, bons efeitos especiais, bons actores etc, mas o que mais me custa é ver tanto dinheiro aplicado num projecto que poderia ser muito melhor empregue noutras películas (sim noutras e não noutra).
Enfim, acho que é tempo perdido visualizar este filme.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Tres DÍas / Before the Fall





SINOPSE

O que faria se lhe fosse anunciado o fim do mundo em 72 horas?
Um meteoritp gigante está prestes a colidir com o planeta terra, os habitantes da pequena Vila Espanhola de "Laguna" acompanham as notícias em desespero...

OPINIÂO
O filme desenvolve um enredo dentro do enredo, apesar de todo o ambiente de desespero causado pela iminente destruição do planeta, outros valores mais altos se levantam: a protecção da família. É assim criada uma alegoria de sentimentos que coloca acima de tudo o valor da protecção familiar e o exorcitar de memórias pessoais recalcadas.
O filme é construido com uma fotografia espectacular que realça o ambiente decadente da pequena vila, a decadência da vila prolonga-se para as personagens e remete-nos para um clima visceral de medos primários.
Apesar da simplicidade da narrativa o filme convence, sobretudo pelas actuações e pela claustrofobia provocada ao assistente.
Estamos perante mais uma prova de que o cinema Espanhol está vivo e cada vez melhor, recomendo vivamente.

sábado, 8 de novembro de 2008

Eden Lake







An Unforgetabble weekend

Sinopse

Um Jovem casal resolve passar o fim-de-semana num lago, formado numa antiga pedreira, longe de tudo e de todos. Mas o que parecia ser um fim-de-semana paradisíaco, transforma-se num inferno quando os dois encontram um grupo de jovens e passam a ser aterrorizados por estes.

Opinião
Um dos melhores thrillers de 2008 sem dúvida. Pega num tema actualizadissímo (os Bully's britânicos) e enceta um massacre fisico e psicológico que culmina de forma inesperada e estrondosa.
O filme é violento com todas as letras, transporta o clima da violência juvenil do Reino Unido de uma forma nua e crua e reflecte o efeito "grupo" e as acções que este provoca.
Não vive de efeitos especiais nem de gore, retrata de forma muito real a trama, o que também é reforçado pelas actuações bastante boas, principalmente do grupo juvenil.
Quanto a mim salta directamente para a tabela dos melhores de 2008, a não perder.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

PROJECTO PARA 2009 - Friday the 13 / Sexta-Feira 13



Jason Vorhees estará de volta ao grande ecran em 2009, o filme recontará o original abordando a temática do assassínio em massa de adolescentes no lago "Crystal", explorará assim as origens da saga. Garantida está a máscara na cara de Jason, ícone inseparável de um dos maiores serial killers do cinema de terror de todos os tempos.
A realização está a cargo de Marcus Nispel, responsável (entre outros) pelo fraquissímo "Pathfinder" e pelo "Massacre no Texas" de 2003.
Como sou um fã incondicional da saga sexta-feira 13, vou esperar por este recontar da história em estado de grande ansiedade.
Aqui fica um "cheirinho" para aguçar o apetite:

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

The Midnight Meat Train / O Comboio dos Mortos







"The most terrifying ride you'll ever take"

SINOPSE

Adaptação de um conto, do mestre do terror Clive Barker, que aborda a odisseia de um repórter de Nova York em busca do lado negro da cidade. Ele vai tentar captar imagens de um serial killer que retalha as suas vítimas no metro, o seu envolvimento torna-se numa obsessão e vai mais longe do que ele esperava.

OPINIÃO
Esperava a estreia deste filme com alguma ansiedade, tendo em conta que já tinha lido o conto e que adoro as abordagens de Clive Barker ao terror.
O filme, apesar de "esticar" o conto, consegue passar o ambiente sufocador para o cinema, claro está com recurso ao gore.
Apesar do enredo não ser soberbo consegue entreter, destaco o desempenho de Vinnie Jones que encarna perfeitamente o papel de Mahogany.
Vale sobretudo por nos fazer entrar no mundo de Clive Barker.
Gostaria de deixar aqui o meu repudio para as traduções portuguesas dos títulos de filmes, especialmente os considerados de segunda (terror), este é um exelente exemplo: "O Comboio dos Mortos":
1 - O filme não se passa num comboio mas sim no metro;
2 - ...dos mortos, sim, mas antes de estarem mortos estavam vivos, deixa a ideia de estarmos perante mais uma zombisse.
Esta é sem dúvida uma àrea a melhorar tanto em Portugal como no Brasil, acabem com as traduções livres.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Contos de Terror do Homem-Peixe



Como nem só de filmes vive o terror aqui vai uma sugestão literária:
"Contos de Terror do Homem-Peixe" consiste numa (...) antologia, composta por onze contos em Língua Portuguesa, o CTLX (Cineclube de Terror de Lisboa) e as Edições Chimpanzé Intelectual pretendem não só homenagear o género (terror), mas também procurar contribuir para impulsioná-lo no panorama literário português, que, até aqui, claramente, não lhe tem dispensado a atenção devida (...)
IN"Contos de Terror do Homem-Peixe"

O livro é maravilhoso e os seus contos devoram-se num ápice, deixando-nos com vontade de ler mais e mais do género escrito na língua de camões. Vale sobretudo pela incursão num género tão mal amado no nosso país e pela oportunidade de juntar escritores da praça com escritores amadores sendo o resultado muito positivo.
Aconselho vivamente a leitura desta obra que desmitifica o terror como algo "baixo" sem destaque no panorama cultural nacional, a sua leitura remete-nos para um universo dominado por Edgar Allan Poe, Clive Barker e Stephen King, agora com um marco nacional.
Parabéns ao CTLX pelas suas iniciativas.

O livro é composto pelos seguintes contos:
  • O RETIRANTE - Baptista Bastos
  • DO MAL O MENOS - Rui Zink
  • A VIZINHANÇA - Possidónio Cachapa
  • RÉPTIL - David Soares
  • O CARRINHO DE MÃO - Pedro Martins
  • BROADMOOR - João Tordo
  • DJINN - João Seixas
  • TENTÀCULOS - Guilherme Trindade Filipe
  • DULCE CLAUDINA E A CASA ASSOMBRADA - António de Macedo
  • A ANTENA DE BREJNEV - Fernando Ribeiro
  • SE ACORDAR ANTES DE MORRER - João Barreiros

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Feast 2 - Sloopy seconds







Sinopse
Na manhã seguinte ao terrível pesadelo, acompanhamos a trajetória dos sobreviventes. Há mais monstros e eles estão ainda mais famintos. As criaturas cercam uma pequena cidade vizinha, fazendo com que os moradores e os personagens do filme anterior tenham que se unir contra os ataques. Será que desta vez Honey Pie irá pagar pela sua fuga? Tuffy irá assumir o papel de heroína? Quem será aquela irmã gêmea da Mãe Harley? São muitas perguntas, e será necessário uma nova seqüência para responder a todas. Mas, por enquanto, vamos apenas nos sentar e nos aterrorizar…
Opinião
Muito pior do que o primeiro, aliás, não tem ponta por onde se pegue. Pretende explorar o humor negro de forma grotesca mas tudo o que consegue é expor gore a torto e a direito sem qualquer nexo.
O reflexo negativo do filme está em cenas absurdas entre as quais um monstro a acasalar com um gato!!!
Sinceramente não gostei nada do filme e achei que toda a originalidade do primeiro foi por àgua abaixo, podiam ter aproveitado para fazer algo bem melhor que não resulta-se nesta amalga de gore cheia de piadas fáceis.
Dizem que vem por ai um terceiro, não sei se terei paciência para o ver...

domingo, 12 de outubro de 2008

100 Feet







"Till Death Do Us Part Wasn't Enough"

SINOPSE
Marnie Watson é condenada a prisao domiciliária pela morte do seu marido em legítima defesa.
O marido de Marnie irá continuar a assombra-la na morte tal como o tinha feito em vida, o seu espírito está presente na casa e não lhe irá dar tréguas.

OPINIÃO
Este filme surpreendeu-me muito, pensei que fosse um filme banal que só fosse válido pela presença de Famke Janssen (X-Men), contudo tornou-se uma agradável surpresa que explora muito bem a envolvente do edifício centenário como palco da trama.
Tem uma cena a destacar, do fantasma a atacar uma personagem, pela violência implicita à mesma.Lamento este filme não ter tido qualquer destaque nacional, ao passo de outros títulos que não deviam sair da penumbra e acabam no circuíto mainstream.
É, sem dúvida, um filme que se vê num fôlego.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Babylon A.D.







SINOPSE
Toorop (Vin Diesel) travou inúmeras batalhas e sobreviveu às muitas guerras que, logo após o início do século XXI, devastaram o mundo. Gosrky (Gérard Depardieu), um membro da máfia que reina sobre a Europa de Leste, confia a este mercenário uma delicada missão: acompanhar, numa viagem desde a Rússia até Nova Iorque, uma misteriosa rapariga chamada Aurora (Mélanie Thierry), juntamente com a sua tutora, Irmã Rebecca (Michelle Yeoh) e colocá-la nas mãos de uma poderosa ordem religiosa...

OPINIÂO
Produção americana e francesa realizada por Mathieu Kassovitz responsável por títulos como "Gothika" e "Les Rivières pourpres".
Apesar de amplamente criticado pela negativa, devo afirmar que gostei bastante do filme, especialmente da componente "Tecno", da fotografia e do "mau feitio" de Vin Diesel.
O filme resulta num entertenimento puro não querendo ser nenhum marco, aproveito para referir o fantástico "Blade Runner" que também foi crucificado aquando da sua estreia e acabou por se tornar um filme culto. Obviamente que este Babylon A.D. não se tornará nunhum culto nem esta perto de "Blade Runner" no que toca a qualidade, contudo é um filme de acção que se vê bem, sem grandes pretensões, mas que explora, quanto a mim, muito bem toda a envolvência tecnológica futurística.
O que não resultou de todo, na generalidade, foi o misticismo que tentaram incutir no filme, com uma explicação mais lógica o argumento tornar-se-ia muito mais fluído e o resultado final seria, sem dúvida, muito melhor.
Peguem nas pipocas e na "bejeca" e curtam o filme, juntem à receita uma tarde chuvosa de domingo e está criado o ambiente ideal para este tipo de filme.
Será que Hollywood está a ficar sem mão-de-obra?? passam a vida a "recrutar" realizadores europeus, nipónicos e da América do Sul... ainda bem.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

The Killing Gene / W Delta Z







"Would you kill the one you love to save yourself from death?"

SINOPSE

Corpos estão sendo achados em becos da cidade, alguns terrivelmente mutilados outros com uma equação “esculpida” na carne. Quando o Detetive Argo e sua nova parceira descobrem o significado desta equação entendem que para cada vítima é dada um terrível opção: Matar a pessoa que ama ou ser morto.
OPINIÃO
Filme policial negro ao estílo de "Seven", o desenvolvimento inicial deixa-nos um pouco "adormecidos" mas, à medida que o enredo se desenvolve, damo-nos envolvidos completamente pelo ambiente negro e estamos sempre a tentar adivinhar o final implicito ao relacionamento das personagens, damos por nós a congeminar teorias relacionais.
Com o final apercebemo-nos (pelo menos no meu caso) da reviravolta e do volte face que não corresponde a nenhuma das teorias anteriomente adivinhadas.
Quanto a mim o filme vale pelo enredo poderoso e pela caracterização muito forte das personagens, é um filme cru que cria uma angustia interior, não pelo gore ou pelas cenas fortes mas pelo enredo própriamente dito.
Acrescenta algo ao género polícial, serial killer, dark movie... descubram o quê.


sábado, 27 de setembro de 2008

Espelhos / Mirrors







"There Is Evil........On The Other Side"
Sinopse
Ben Carson (Kiefer Sutherland) já viu melhores dias. Já faz quase um ano que este ex-polícia instável foi suspenso por ter disparado fatalmente sobre outro polícia. Um acidente que não só lhe custou o trabalho, como contribuiu para o alcoolismo, causando o afastamento da sua esposa e filhos e levando-o a mudar-se para casa da sua irmã. Desesperado por voltar a endireitar a sua vida e unir novamente a sua família, Carson aceita um trabalho como segurança nocturno nas ruínas de um armazém destruído por um incêndio gigantesco que ceifou inúmeras vidas inocentes. Enquanto Carson patrulha os escombros queimados e misteriosos do armazém, ele começa a aperceber-se de algo sinistro acerca dos espelhos que adornam as paredes do espaço. Reflectidas na superfície brilhante estão imagens horríveis que o paralisam. Para além de reflectirem imagens chocantes do passado, os espelhos parecem estar a manipular também a realidade. Quando Carson vê o seu próprio reflexo a ser torturado, ele sofre os efeitos psicológicos das suas visões fragmentadas...

Opinião
Um bom filme de Alexandre Aja, francês que já tem um curriculum provado em Hollywood através da realização do remake "The Hills Have Eyes" e de "P2" (Já aqui discutido).Aja deu nas vistas com o seu "Haute Tension" razão pela qual avançou para outros voos.
Quanto a "Mirrors", também fruto de um cover de uma obra japonesa de terror, resulta num turbilhão de suspense com gore q.b. e com um final espectacular. A prestação de Kiefer Sutherland ajuda muito o desenvolvimento do filme e prova que este actor é multifacetado.
Mirrors sufoca-nos e consegue absorver-nos completamente, tendo quase todos os ingredientes que os cinéfilos do terror procuram, apesar de não ser fenomenal é um filme a ver.

domingo, 21 de setembro de 2008

O Acontecimento / The Happening







"We've Sensed It. We've Seen The Signs. Now... It's Happening."

Sinopse

Começa sem aviso. Parece que vem de parte incerta. Em minutos, episódios invulgarmente estranhos: mortes arrepiantes, que desafiam a razão e fazem enlouquecer provocando uma chocante autodestruição, alastram nas principais cidades americanas. Qual será a causa deste súbito e total colapso do comportamento humano? Será alguma nova espécie de ataque terrorista, uma experiência científica que correu mal, uma diabólica arma tóxica, ou um vírus incontrolável? Está a ser transmitido pelo ar, pela água... como e de onde vem a ameaça?
In "Cinema PTGAte"

Opinião
Eis mais uma obra de Shyamalan que (para não variar) não consegue agradar a gregos e troianos, tirando o seu "Sexto Sentido" todos os seus filmes foram alvo de grandes amores e desamores.
Quanto a mim acho cada filme do realizador completamente divergente do outro, adorei alguns dos seus filmes com a mesma força que detestei outros, quanto a este tenho a dizer que gostei, a premissa do filme não é muito desenvolvida e, como dizem algumas vozes,"a montanha pare um rato no final", contudo gostei do desenrolar dos suicidos desenfreados e também da lição que Shyamalan tenta passar: A natureza é mais forte do que nós, e quando realmente se cansar de ser massacrada pela raça humana atacará (upsss acabei de desvendar o argumento do filme...).
Quero aqui destacar as performances de dois dos meus actores favoritos: Mark Wahlberg, que encaixa em qualquer filme de acção que nem uma luva e John Leguizamo cujo talento não corresponde ao tamanho.
Façam como eu e, apesar de todo o mal que me disseram do filme, vi e gostei.



segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Ficheiros Secretos: Quero Acreditar / The X-files: I Want to Believe







Sinopse
Esta é uma história isolada seguindo a tradição de alguns dos episódios da série e leva a relação complicada entre Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) para direcções inesperadas. Mulder continua a sua inabalável missão pela procura da verdade e Scully, a cientista feroz e arrebatadoramente inteligente, mantém-se inexplicavelmente presa às procuras de Mulder.

Opinião
Sendo fã da série televisiva e tendo gostado imenso do primeiro filme, tenho que afirmar que esta sequela deixa muito a desejar.
Começo por destacar as actuações, Mulder e Scully parecem distantes um do outro com uma frieza incaracterística de quem anda "enrolado" nos mesmos lençois, a única explicação que vejo nisto é que eles se odeiam na vida real, será?
Pensei que o filme, conforme anunciado e tendo em conta que é realizado pelo próprio Chris Carter, mantivesse o mesmo fio condutor da série, engano, para mim não passa de uma pasmaceira que tenta exorcitar, sem êxito, o que a série tinha de melhor.
Se era para fazer uma sequela podiam ter feito algo muito melhor, os milhões de fãs que a série criou mereciam melhor.
O enredo é básico e pareceu-me feito à pressa, o desenvolvimento amoroso das personagens tem um twist bastante estranho, enfim se gostaram da série e do primeiro filme não vejam este, só vos vai trazer decepção.

sábado, 6 de setembro de 2008

REC







"UMA TESTEMUNHA, UMA CÂMERA"

SINOPSE
Cenário montado em Barcelona, onde uma equipa de reportagem constituída por Ángela (Manuela Velasco) e o seu cameraman que nunca vemos, Pablo, aborrece-se num quartel de bombeiros enquanto faz uma peça sobre as suas noites. Após algumas horas, no meio de algum tédio, cai finalmente uma chamada de ajuda a uma idosa que, supostamente, está fechada na sua casa e magoada, porque, dizem os vizinhos, está farta de gritar. A equipa de reportagem segue os bombeiros e poucos minutos depois de chegarem ao local deparam-se com um cenário imprevisível. A senhora não está nada magoada, mas sim num estado semelhante ao que estamos habituados a ver em filmes de zombies e, logo a seguir, a polícia e o exército selam o edifício ao exterior, não deixam ninguém sair, colocando-o em quarentena, porque receberam o aviso de que é possível que exista uma ameaça biológica dentro daquele prédio.
André Santos In "Timeout.sapo.pt"

OPINIÃO

posso afirmar que já à muito tempo não ficava tão agradado com um filme de terror como fiquei com este "REC", simplesmente genial.
Quando olhei para o argumento pensei de imediato "mais um filme com a câmara a desfilar, os espanhois querem imitar os "Blair Witchianos" e os "Cloverfildenistas"", que errado estava eu, de imediato assombraram-me as críticas positivas deste filme que me enfiaram numa sala a visioná-lo quase de imediato.
Resultado: saí completamente deslumbrado com o filme, o argumento é simples mas super eficaz, as situações nunca caem no rídiculo e mantêm uma linha muito real, as performances dos actores enquadram perfeitamente no ambiente criado.
Pode-se afirmar que este filme consegue o que os outros filmes, de Câmara "Live", não conseguiram.
O melhor deste filme está para o fim, o "Twist" final, elemento essencial para nos enquadrar no argumento, é fantástico e, como não poderia deixar de comentar, faz referência a uma criança portuguesa como sendo o objecto de toda a trama.
O filme contém todos os ingredientes exigidos a um bom filme de terror: suspense, cenas arrepiantes que nos fazem dar pulinhos e gore q.b.
Este passa a fazer parte dos meus favoritos deixando uma marca bem representativa do que é possível fazer-se do lado de cá do oceano.
Pontos negativos: o facto do filme não entrar no circuito "main stream" do cinema nacional e o facto da américa importar o conceito para fazer um remake americano a estrear brevemente que dá pelo nome de "quarantine", onde é que eu já vi isto???
Em jeito de conclusão, será que as nossas gentes (tugas) do mundo do cinema não se deixam influenciar pelos "nuestros hermanos"?
De Espanha pode não vir bom vento nem bom casamento, mas bom cinema vem de certeza.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Carver




"Life imitating art...Art imitating death"


Sinopse

Baseado em factos verídicos, carver relata o desaparecimento de cinco jovens que partiram para acampar na cidade montanhosa "Halcyon Ridge" e nunca regressaram.

Opinião
Pelo argumento rapidamente se nota que estamos perante um "Slash movie", com algumas cenas bem fortes como se quer no cinema gore actual.
Ao visionar o filme constata-se que este foi feito com poucos recursos monetários (actuações desastrosas, planos muito escuros, etc) é precisamente devido a este motivo que o filme não se torna algo ao nível de Hostel ou Saw.
Contudo convem salientar algumas nuances que engrandecem o filme, tais como a banda sonora, que encaixa perfeitamente no espírito do filme, e a fotografia que, por vezes, acentua o clima de demência inerente ao desenrolar dos acontecimentos.
O filme podia dispensar cenas sem sentido, sendo de destacar o facto de um protagonista olhar para um sanitário completamente imundo e fazer questão de se "aliviar" no mesmo tendo ao seu redor uma enorme floresta!!! mas tendo em conta que as cenas "sem sentido" já fazem parte do universo horrorífico facilmente se perdoam estes deslizes na realização.
Alguns contras:
O slogan "baseado em factos verídicos", já farta ver esta tagline associada a filmes de terror, facilmente nos apercebemos que não tem qualquer crédito;
A denuncia imediata do "talhador", poderia criar-se algum suspense acerca do autor da carnificina e não apresenta-lo logo sem rodeios.

Os apreciadores de slash movies não devem passar ao lado deste Carver.

domingo, 17 de agosto de 2008

Hellboy 2 - The Golden Army / Hellboy 2 - O exército dourado




"Saving the world is a hell of a job."

"Believe it or not - he's the good guy."

"Good never looked so bad."

Sinopse
Após a quebra de uma antiga trégua mantida há anos entre a
humanidade e o reino da fantasia, o inferno na Terra está prestes a deflagrar.
Um príncipe cruel procura despertar um avassalador e impedioso exército, formado por guerreiros mecânicos imortais, para acabar com a raça humana. Hellboy terá a difícil tarefa de impedir os planos do malévolo príncipe e do seu exército.

Opinião
Mais um magnífico filme de Guillermo del Toro. Esta sequela está muito mais "apetrechada" do que o primeiro Hellboy no que toca a criaturas fantásticas, acção, efeitos especiais fenomenais, etc, etc.
O original é muito bom e retrata na perfeição a BD da editora Dark Horse Comics, nesta sequela Del Toro refinou o filme acrescentando-lo um toque do seu Labirinto do Fauno.
O filme é um rodopiar de acção do princípio ao fim não dando descanso às nossas pálpebras, é "sempre a abrir". O universo que envolve o filme é realmente maravilhoso no que concerne a imaginação, Del Toro é períto em remeter o espectador para o mundo da fantasia infantil, incutindo-lhe um aspecto mais rude e tenebroso.
Como sou um fã incondicional de Del Toro não podia deixar de gostar desta sequela, agora resta esperar pela prequela do Senhor dos Aneis (The Hobbit) cuja realização lhe foi confiada, de certeza que vai deixar marca como o seu antecessor Peter Jackson.
Um espectaculo de efeitos especiais a não perder.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

The Mummy : Tomb of the Dragon Emperor / A Múmia: O Túmulo do Imperador Dragão


"A New Evil Awakens"
Sinopse
O explorador Rick O'Connell (Brendan Fraser) regressa para combater o
ressuscitado Imperador Han (Jet Li), num épico que abarca desde as
catacumbas da antiga China até aos gélidos Himalaias. Rick é
acompanhado nesta nova aventura pelo filho Alex (Luke Ford), a esposa
Evelyn (Maria Bello) e irmão desta, Jonathan (John Hannah). Desta vez
os O'Connell terão de impedir uma múmia com 2000 anos de lançar uma
maldição sobre o mundo e colocá-lo, de modo impiedoso, à sua cruel
mercê.

Opinião
Esta "terceira" múmia deixa muito a desejar, consiste num desfilar de efeitos especias que me provocaram dor de cabeça. Desfilam, perante os nossos olhos, Yetis, Dragões, 1 monstro desconhecido nos cadernos das criaturas fantásticas... enfim, é uma mescla de criaturas numa confusão de efeitos especiais que me deixaram zonzo.
O argumento é rebatido e repetitivo, inclusive a velha cena da morte e ressureição por acção do sobrenatural, as piadas são reboscadas e, sinceramente, fizeram-me só sorrir e não soltar sonoras gargalhadas.
Esta terceira múmia é de "terceira" e vem deitar por terra a originalidade e a classe dos antecessores filmes.
Como se não basta-se, neste não temos a presença de Rachel Weisz, o que vem dar razão à velha máxima: em equipa vencedora não se mexe.
Vi este filme e remeti os meus pensamentos num futuro próximo onde os actores vão ser dispensados em deterimento dos efeitos especiais, não que eu não goste de efeitos especiais, aliás adoro-os, mas acho que estes devem ser doseados para que os filmes não caiam no rídiculo como esta Múmia.
Enfim, foram gastos mais uns milhões de dólares em Hollywood que poderiam ser canalizados para obras originais, poderiam ser lançados para o cinema independente por exemplo, fica a ideia nos meandros bloguísticos.