segunda-feira, 28 de julho de 2008

The Mutant Chronicles



"The darkest age is yet to come. Have faith."
Sinopse
Constantine (John Malkovich) é o líder de uma das quatro empresas que lideram os continentes no mundo e que lutam contra a devastação total do planeta. No meio dessa guerra entre corporações surge um exército de "NecroMutantes" e apenas uma profecia pode vencer essa nação de assassinos surgidos do fundo da Terra. Apostando alto, Constantine coloca nas mãos de um grupo de 7 guerreiros guiados por Samuel (Ron Perlman), um religioso que acredita poder seguir as palavras e enfim, salvar o mundo. O Major Mitch Hunter, um marine que lidera os humanos na sua luta contra os mutantes será seu principal aliado e buscará com os demais guerreiros, a salvação do mundo que parece totalmente perdido.

Opinião
Gostei do filme, sobretudo do ambiente "Animação" que este trasmite. Estamos perante uma adaptação de um argumento que anteriomente deu corpo a um jogo e a BD's, talvez derive dai a sua fotografia negra.
O argumento é básico e define a velha luta do bem (humanos) contra o mal (mutantes), as cenas de acção estão bem suportadas nos efeitos especiais e remetem-nos para os grafismos dos videojogos.
Conta com uma pequena participação de John Malkovich e com Ron Perlman no papel de "protagonista".
Em suma, é um filme que se vê bem pelo explodir gráfico das cenas de acção, puro entertenimento com adrenalina QB.
Um filme a ver sem qualquer dúvida.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Island of the Lost Souls / Fortabte sjæles ø, De


Sinopse
Lulu, 14 anos, muda-se para uma pequena cidade provinciana com a sua mãe e o irmão mais novo. Uma noite o seu irmão é atacado por uma bola de luz branca: um espírito do Sec. XIX.
A partir deste momento Lulu embarca numa aventura, juntamente com o seu irmão, o espírito que o possui, um jovem e um professor que acaba de conhecer. O objectivo do grupo é destruir um "Senhor das Trevas" que pretende dominar o mundo com a sua magia negra.

Opinião

Filme Dinamarquês (comparticipado com a Suécia e Alemanha) que me surpreendeu muito, pela positiva. É um filme que se vê em família, a acção e os efeitos especiais são qb para um filme muito acolhedor que nos faz sonhar e cria um ambiente que nos transporta de imediato para a nossa meniníce.
Do ponto de vista técnico podia ser melhor, mas rápidamente nos esquecemos disso quando nos deixamos envolver pelo ambiente fantasioso e infantil.
Muito bom para desenjoarmos do "gore", que tem marcado presença ultimamente, e vermos um filme leve e despretensioso.
Não conheço outros filmes dinamarqueses do género que possa utilizar aqui como termo de comparação, apesar do longo curriculum do realizador Nikolaj Arcel.
Recomendo vivamente, juntem a pequenada e assistam juntos.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

El Orfanato




"Un cuento de amor. Una historia de terror."


Sinopse
Laura passou os anos mais felizes da sua infância num orfanato à beira mar, acarinhada pelos responsáveis e pelos seus companheiros órfãos, que ela amava como irmãos e irmãs. Agora, trinta anos depois, ela regressa com o seu marido Carlos, com Simon, o seu filho de 7 anos e com o sonho de recuperar e reabrir o há muito abandonando orfanato como um lar para crianças deficientes. O novo lar e a sua envolvente misteriosa despertam a imaginação de Simon e o rapaz começa a contar um emaranhado de histórias fantásticas e de jogos não tão inocentes... Um enredo de histórias que começam a perturbar Laura, levando-a para o estranho universo da criança recordando-a de memórias extremamente inquietantes da sua própria infância. À medida que o dia da inauguração se aproxima, a tensão na família aumenta. Carlos permanece céptico, acreditando que Simon está a inventar tudo numa tentativa desesperada por atenção. Mas Laura, a pouco e pouco, convence-se de que algo terrível, há muito escondido, está à espreita nesta velha casa. Algo à espera de aparecer e infligir danos horríveis na sua família...
In "CinemaPTGate"

Opinião
Um filme produzido pelo Mestre Guillermo Del Toro só podia resultar numa película brutal.
Achei o filme muito bom, tanto ao nível do enredo como ao nível da representação. O terror vai mais além do comum e torna-se psicótico, suportado numa temática muito sensível: as crianças.
O enredo, apesar de se ir desvendando fácilmente, consegue manter uma linha concreta e bem construída, é um dos filme que nos faz olhar à nossa volta, se o estivermos a ver sozinhos, e nos prende do princípio ao fim.
De salientar o facto de estarmos a falar, novamente, de uma obra europeia (Espanha) bastante premiada, mais uma vez se prova que o fantástico e terror está muito vivo no velho continente. Nuestros Hermanos brindam-nos com este filme depois do perturbante "REC".
De Espanha "Não vem bom vento nem bom casamento" mas veem bons filmes...
Portugal, vamos lá a acordar para o terror condimentado com bons efeitos especiais.