quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Carver




"Life imitating art...Art imitating death"


Sinopse

Baseado em factos verídicos, carver relata o desaparecimento de cinco jovens que partiram para acampar na cidade montanhosa "Halcyon Ridge" e nunca regressaram.

Opinião
Pelo argumento rapidamente se nota que estamos perante um "Slash movie", com algumas cenas bem fortes como se quer no cinema gore actual.
Ao visionar o filme constata-se que este foi feito com poucos recursos monetários (actuações desastrosas, planos muito escuros, etc) é precisamente devido a este motivo que o filme não se torna algo ao nível de Hostel ou Saw.
Contudo convem salientar algumas nuances que engrandecem o filme, tais como a banda sonora, que encaixa perfeitamente no espírito do filme, e a fotografia que, por vezes, acentua o clima de demência inerente ao desenrolar dos acontecimentos.
O filme podia dispensar cenas sem sentido, sendo de destacar o facto de um protagonista olhar para um sanitário completamente imundo e fazer questão de se "aliviar" no mesmo tendo ao seu redor uma enorme floresta!!! mas tendo em conta que as cenas "sem sentido" já fazem parte do universo horrorífico facilmente se perdoam estes deslizes na realização.
Alguns contras:
O slogan "baseado em factos verídicos", já farta ver esta tagline associada a filmes de terror, facilmente nos apercebemos que não tem qualquer crédito;
A denuncia imediata do "talhador", poderia criar-se algum suspense acerca do autor da carnificina e não apresenta-lo logo sem rodeios.

Os apreciadores de slash movies não devem passar ao lado deste Carver.

domingo, 17 de agosto de 2008

Hellboy 2 - The Golden Army / Hellboy 2 - O exército dourado




"Saving the world is a hell of a job."

"Believe it or not - he's the good guy."

"Good never looked so bad."

Sinopse
Após a quebra de uma antiga trégua mantida há anos entre a
humanidade e o reino da fantasia, o inferno na Terra está prestes a deflagrar.
Um príncipe cruel procura despertar um avassalador e impedioso exército, formado por guerreiros mecânicos imortais, para acabar com a raça humana. Hellboy terá a difícil tarefa de impedir os planos do malévolo príncipe e do seu exército.

Opinião
Mais um magnífico filme de Guillermo del Toro. Esta sequela está muito mais "apetrechada" do que o primeiro Hellboy no que toca a criaturas fantásticas, acção, efeitos especiais fenomenais, etc, etc.
O original é muito bom e retrata na perfeição a BD da editora Dark Horse Comics, nesta sequela Del Toro refinou o filme acrescentando-lo um toque do seu Labirinto do Fauno.
O filme é um rodopiar de acção do princípio ao fim não dando descanso às nossas pálpebras, é "sempre a abrir". O universo que envolve o filme é realmente maravilhoso no que concerne a imaginação, Del Toro é períto em remeter o espectador para o mundo da fantasia infantil, incutindo-lhe um aspecto mais rude e tenebroso.
Como sou um fã incondicional de Del Toro não podia deixar de gostar desta sequela, agora resta esperar pela prequela do Senhor dos Aneis (The Hobbit) cuja realização lhe foi confiada, de certeza que vai deixar marca como o seu antecessor Peter Jackson.
Um espectaculo de efeitos especiais a não perder.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

The Mummy : Tomb of the Dragon Emperor / A Múmia: O Túmulo do Imperador Dragão


"A New Evil Awakens"
Sinopse
O explorador Rick O'Connell (Brendan Fraser) regressa para combater o
ressuscitado Imperador Han (Jet Li), num épico que abarca desde as
catacumbas da antiga China até aos gélidos Himalaias. Rick é
acompanhado nesta nova aventura pelo filho Alex (Luke Ford), a esposa
Evelyn (Maria Bello) e irmão desta, Jonathan (John Hannah). Desta vez
os O'Connell terão de impedir uma múmia com 2000 anos de lançar uma
maldição sobre o mundo e colocá-lo, de modo impiedoso, à sua cruel
mercê.

Opinião
Esta "terceira" múmia deixa muito a desejar, consiste num desfilar de efeitos especias que me provocaram dor de cabeça. Desfilam, perante os nossos olhos, Yetis, Dragões, 1 monstro desconhecido nos cadernos das criaturas fantásticas... enfim, é uma mescla de criaturas numa confusão de efeitos especiais que me deixaram zonzo.
O argumento é rebatido e repetitivo, inclusive a velha cena da morte e ressureição por acção do sobrenatural, as piadas são reboscadas e, sinceramente, fizeram-me só sorrir e não soltar sonoras gargalhadas.
Esta terceira múmia é de "terceira" e vem deitar por terra a originalidade e a classe dos antecessores filmes.
Como se não basta-se, neste não temos a presença de Rachel Weisz, o que vem dar razão à velha máxima: em equipa vencedora não se mexe.
Vi este filme e remeti os meus pensamentos num futuro próximo onde os actores vão ser dispensados em deterimento dos efeitos especiais, não que eu não goste de efeitos especiais, aliás adoro-os, mas acho que estes devem ser doseados para que os filmes não caiam no rídiculo como esta Múmia.
Enfim, foram gastos mais uns milhões de dólares em Hollywood que poderiam ser canalizados para obras originais, poderiam ser lançados para o cinema independente por exemplo, fica a ideia nos meandros bloguísticos.