terça-feira, 30 de setembro de 2008

The Killing Gene / W Delta Z







"Would you kill the one you love to save yourself from death?"

SINOPSE

Corpos estão sendo achados em becos da cidade, alguns terrivelmente mutilados outros com uma equação “esculpida” na carne. Quando o Detetive Argo e sua nova parceira descobrem o significado desta equação entendem que para cada vítima é dada um terrível opção: Matar a pessoa que ama ou ser morto.
OPINIÃO
Filme policial negro ao estílo de "Seven", o desenvolvimento inicial deixa-nos um pouco "adormecidos" mas, à medida que o enredo se desenvolve, damo-nos envolvidos completamente pelo ambiente negro e estamos sempre a tentar adivinhar o final implicito ao relacionamento das personagens, damos por nós a congeminar teorias relacionais.
Com o final apercebemo-nos (pelo menos no meu caso) da reviravolta e do volte face que não corresponde a nenhuma das teorias anteriomente adivinhadas.
Quanto a mim o filme vale pelo enredo poderoso e pela caracterização muito forte das personagens, é um filme cru que cria uma angustia interior, não pelo gore ou pelas cenas fortes mas pelo enredo própriamente dito.
Acrescenta algo ao género polícial, serial killer, dark movie... descubram o quê.


sábado, 27 de setembro de 2008

Espelhos / Mirrors







"There Is Evil........On The Other Side"
Sinopse
Ben Carson (Kiefer Sutherland) já viu melhores dias. Já faz quase um ano que este ex-polícia instável foi suspenso por ter disparado fatalmente sobre outro polícia. Um acidente que não só lhe custou o trabalho, como contribuiu para o alcoolismo, causando o afastamento da sua esposa e filhos e levando-o a mudar-se para casa da sua irmã. Desesperado por voltar a endireitar a sua vida e unir novamente a sua família, Carson aceita um trabalho como segurança nocturno nas ruínas de um armazém destruído por um incêndio gigantesco que ceifou inúmeras vidas inocentes. Enquanto Carson patrulha os escombros queimados e misteriosos do armazém, ele começa a aperceber-se de algo sinistro acerca dos espelhos que adornam as paredes do espaço. Reflectidas na superfície brilhante estão imagens horríveis que o paralisam. Para além de reflectirem imagens chocantes do passado, os espelhos parecem estar a manipular também a realidade. Quando Carson vê o seu próprio reflexo a ser torturado, ele sofre os efeitos psicológicos das suas visões fragmentadas...

Opinião
Um bom filme de Alexandre Aja, francês que já tem um curriculum provado em Hollywood através da realização do remake "The Hills Have Eyes" e de "P2" (Já aqui discutido).Aja deu nas vistas com o seu "Haute Tension" razão pela qual avançou para outros voos.
Quanto a "Mirrors", também fruto de um cover de uma obra japonesa de terror, resulta num turbilhão de suspense com gore q.b. e com um final espectacular. A prestação de Kiefer Sutherland ajuda muito o desenvolvimento do filme e prova que este actor é multifacetado.
Mirrors sufoca-nos e consegue absorver-nos completamente, tendo quase todos os ingredientes que os cinéfilos do terror procuram, apesar de não ser fenomenal é um filme a ver.

domingo, 21 de setembro de 2008

O Acontecimento / The Happening







"We've Sensed It. We've Seen The Signs. Now... It's Happening."

Sinopse

Começa sem aviso. Parece que vem de parte incerta. Em minutos, episódios invulgarmente estranhos: mortes arrepiantes, que desafiam a razão e fazem enlouquecer provocando uma chocante autodestruição, alastram nas principais cidades americanas. Qual será a causa deste súbito e total colapso do comportamento humano? Será alguma nova espécie de ataque terrorista, uma experiência científica que correu mal, uma diabólica arma tóxica, ou um vírus incontrolável? Está a ser transmitido pelo ar, pela água... como e de onde vem a ameaça?
In "Cinema PTGAte"

Opinião
Eis mais uma obra de Shyamalan que (para não variar) não consegue agradar a gregos e troianos, tirando o seu "Sexto Sentido" todos os seus filmes foram alvo de grandes amores e desamores.
Quanto a mim acho cada filme do realizador completamente divergente do outro, adorei alguns dos seus filmes com a mesma força que detestei outros, quanto a este tenho a dizer que gostei, a premissa do filme não é muito desenvolvida e, como dizem algumas vozes,"a montanha pare um rato no final", contudo gostei do desenrolar dos suicidos desenfreados e também da lição que Shyamalan tenta passar: A natureza é mais forte do que nós, e quando realmente se cansar de ser massacrada pela raça humana atacará (upsss acabei de desvendar o argumento do filme...).
Quero aqui destacar as performances de dois dos meus actores favoritos: Mark Wahlberg, que encaixa em qualquer filme de acção que nem uma luva e John Leguizamo cujo talento não corresponde ao tamanho.
Façam como eu e, apesar de todo o mal que me disseram do filme, vi e gostei.



segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Ficheiros Secretos: Quero Acreditar / The X-files: I Want to Believe







Sinopse
Esta é uma história isolada seguindo a tradição de alguns dos episódios da série e leva a relação complicada entre Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) para direcções inesperadas. Mulder continua a sua inabalável missão pela procura da verdade e Scully, a cientista feroz e arrebatadoramente inteligente, mantém-se inexplicavelmente presa às procuras de Mulder.

Opinião
Sendo fã da série televisiva e tendo gostado imenso do primeiro filme, tenho que afirmar que esta sequela deixa muito a desejar.
Começo por destacar as actuações, Mulder e Scully parecem distantes um do outro com uma frieza incaracterística de quem anda "enrolado" nos mesmos lençois, a única explicação que vejo nisto é que eles se odeiam na vida real, será?
Pensei que o filme, conforme anunciado e tendo em conta que é realizado pelo próprio Chris Carter, mantivesse o mesmo fio condutor da série, engano, para mim não passa de uma pasmaceira que tenta exorcitar, sem êxito, o que a série tinha de melhor.
Se era para fazer uma sequela podiam ter feito algo muito melhor, os milhões de fãs que a série criou mereciam melhor.
O enredo é básico e pareceu-me feito à pressa, o desenvolvimento amoroso das personagens tem um twist bastante estranho, enfim se gostaram da série e do primeiro filme não vejam este, só vos vai trazer decepção.

sábado, 6 de setembro de 2008

REC







"UMA TESTEMUNHA, UMA CÂMERA"

SINOPSE
Cenário montado em Barcelona, onde uma equipa de reportagem constituída por Ángela (Manuela Velasco) e o seu cameraman que nunca vemos, Pablo, aborrece-se num quartel de bombeiros enquanto faz uma peça sobre as suas noites. Após algumas horas, no meio de algum tédio, cai finalmente uma chamada de ajuda a uma idosa que, supostamente, está fechada na sua casa e magoada, porque, dizem os vizinhos, está farta de gritar. A equipa de reportagem segue os bombeiros e poucos minutos depois de chegarem ao local deparam-se com um cenário imprevisível. A senhora não está nada magoada, mas sim num estado semelhante ao que estamos habituados a ver em filmes de zombies e, logo a seguir, a polícia e o exército selam o edifício ao exterior, não deixam ninguém sair, colocando-o em quarentena, porque receberam o aviso de que é possível que exista uma ameaça biológica dentro daquele prédio.
André Santos In "Timeout.sapo.pt"

OPINIÃO

posso afirmar que já à muito tempo não ficava tão agradado com um filme de terror como fiquei com este "REC", simplesmente genial.
Quando olhei para o argumento pensei de imediato "mais um filme com a câmara a desfilar, os espanhois querem imitar os "Blair Witchianos" e os "Cloverfildenistas"", que errado estava eu, de imediato assombraram-me as críticas positivas deste filme que me enfiaram numa sala a visioná-lo quase de imediato.
Resultado: saí completamente deslumbrado com o filme, o argumento é simples mas super eficaz, as situações nunca caem no rídiculo e mantêm uma linha muito real, as performances dos actores enquadram perfeitamente no ambiente criado.
Pode-se afirmar que este filme consegue o que os outros filmes, de Câmara "Live", não conseguiram.
O melhor deste filme está para o fim, o "Twist" final, elemento essencial para nos enquadrar no argumento, é fantástico e, como não poderia deixar de comentar, faz referência a uma criança portuguesa como sendo o objecto de toda a trama.
O filme contém todos os ingredientes exigidos a um bom filme de terror: suspense, cenas arrepiantes que nos fazem dar pulinhos e gore q.b.
Este passa a fazer parte dos meus favoritos deixando uma marca bem representativa do que é possível fazer-se do lado de cá do oceano.
Pontos negativos: o facto do filme não entrar no circuito "main stream" do cinema nacional e o facto da américa importar o conceito para fazer um remake americano a estrear brevemente que dá pelo nome de "quarantine", onde é que eu já vi isto???
Em jeito de conclusão, será que as nossas gentes (tugas) do mundo do cinema não se deixam influenciar pelos "nuestros hermanos"?
De Espanha pode não vir bom vento nem bom casamento, mas bom cinema vem de certeza.