quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Grace



Paul Solet pega numa curta de terror que realizou em 2006 e transforma-a num filme em 2009.
A trama gira em torno de um casal que pretende ter um filho, após um acidente o feto morre na barriga da mãe com 31 semanas de gestação, contudo a mãe decide levar a gravidez até ao fim e ter o nado morto através de parto natural.
O bébé nasce morto mas renasce, inexplicávelmente, com uma pequena patologia: o seu apetite só é satisfeito com sangue.
Ao lermos o enredo poderiamos pensar que estavamos perante um filme vulgar, mas "Grace" é tudo menos vulgar, celebrizado no "Montreal's Fantasia Film Festival" o filme constiui-se como uma forma singular de retratar a obsessão da maternidade, não só descrita na personagem "mãe" mas também na "sogra".
Solet consegue transmitir um ambiente agonizanre e putrefacto cujo único paralelo que consigo encontrar será o filme francês "A L'intérieur" embora as diferenças sejam muitas.
Devemos ter em atenção que o tema é forte e o facto de se usar um bébé neste tipo de filme leva sempre a muitas críticas.
Estamos perante um filme cru que nos enjoa mas que é uma obra bem contruída do princípio ao fim, não deixando nenhum apreciador de cinema pesado indeferente, de salientar que o potencial do filme não é reforçado por gore mas sim pela actuação dos personagens e as suas obsessões e pela decomposição do bébé que, embora não seja explicita, está sempre presente.
Sem dúvida um filme a ver e criticar, merece destaque na prateleira do que melhor se tem feito do género.

__________

Paul Solet takes a short of terror, that he directed in 2006, and transformed it into a movie in 2009.
The plot revolves around a couple that wants to have a child, after an accident, the fetus is killed in the belly of the mother with 31 weeks of gestation, but the mother decides to take the pregnancy to term and delivery the dead child through natural childbirth.
The baby was born dead but reborn, inexplicably, with a small condition: his appetite is only satisfied with blood.
When you read the plot before you could think that "Grace" is an ordinary film, but "Grace" is anything but ordinary, present at the "Montreal's Fantasia Film Festival" the movie declares itself as a natural portrayal of the obsession of motherhood, not only described in character "mother" but also on "parents."
Solet forward to an environment completely agonizing whose only parallel I can find is the French movie "A L'intérieur", apart the big differences betwen them.
Put in mind that the theme is strong and, the fact that if you use a baby in this type of film, always leads to much criticism.
This is a crude movie, well constructed from beginning to end, leaving no heavy indeferente on fans of horror movies, we should emphasize that the potential of the movie is not enhanced by gore, but by the actions of the characters and their obsessions and the decomposition of the babie who, although not explicit, is always present.
No doubt a movie to see and criticize, to place on the shelf of the horror master pieces.

1 comentário:

Anónimo disse...

Parabéns pelo Blog!

Visite o nosso ....minervapop@blogspot.com