domingo, 29 de novembro de 2009

Gamer


Num futuro próximo, os jogos virtuais e o entretenimento evoluíram para um assustador novo híbrido. Os seres humanos controlam-se uns aos outros, em grande escala, e em jogos com múltiplos jogadores online: pessoas jogam com as vidas de pessoas verdadeiras... por puro prazer. A tecnologia capaz de controlar mentes encontra-se em cada esquina, e o coração dos jogos controversos e seu criador, é o isolado bilionário Ken Castle (Michael C. Hall). A sua última concepção, o videojogo de tiros no primeiro que aparecer, "Slayers", permite a milhões executar as suas fantasias mais macabras, online, diante de um público à escala global, utilizando prisioneiros reais, como avatares, com quem lutam até à morte. Kable (Gerard Butler) é a estrela e o herói de culto dos violentos "Slayers". Kable é controlado por Simon, um jovem jogador com o estatuto de estrela de rock, que continuamente desafia todas as probabilidades, levando Kable a alcançar a vitória a cada semana que passa. Arrancado à sua família, encarcerado e forçado a lutar contra a sua vontade, o gladiador, dos dias de hoje, tem que sobreviver o tempo suficiente para escapar ao jogo, libertar a sua família, recuperar a identidade e salvar a humanidade da impiedosa tecnologia de Castle.
In "CinemaPTGate"

O filme é uma autentica montanha russa, é pura adrenalina do princípio ao fim. O argumento é muito bom e reflecte um futuro onde a electrónica domina (estamos assim tão longe?), o vilão está a cargo do conhecido Dexter (Michael C.Hall) que não deixa os seus créditos por mãos alheias, no papel de "action Man" temos o não menos conhecido Gerard Butler que assenta muito bem a encarnar durões.
Aperte o sinto, aumente o som e deixe-se levar neste turbilhão de acção non-stop que só tem um problema: o fim deixa-nos ansiosos por mais.
Querem apostar que vamos ter um Gamer 2 não tarda nada?

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Inglourious Basterds

Shoshanna Dreyfus (Mélanie Laurent) assiste à execução da sua família, directamente pelas mãos do Coronel nazi Hans Landa (Christoph Waltz). No entanto, ela consegue fugir para Paris e começar de novo, com uma identidade falsa e dona de um cinema. Entretanto, na Europa, o Tenente Aldo Raine (Brad Pitt) organiza um grupo de soldados judeus, orientado para atacar alvos localizados: os Bastardos. Juntamente com uma actriz alemã e agente infiltrada, de seu nome Bridget von Hammersmark (Diane Kruger), eles planeiam derrubar o Terceiro Reich. Os destinos convergem todos para o cinema onde Shoshanna planeia a sua própria vingança.

Tarantino está de volta, o seu humor negro também. Estamos perante mais um bom filme de Tarantino com a dose de violência a que nos acostumou, embora tenha ficado um pouco desiludido com o filme, pois esperava mais, não posso afirmar que o filme é mau. Tem as marcas Tarantinianas tais como os longos diálogos que exploram ao máximo as personagens e a violência explosiva nua e crua que aparece de repente.
Tenho que destacar dois papeis: Brad Pitt (Aldo Raine) e Chritoph Waltz (Hans Landa), Pitt não necessita de apresentações pois já nos habituou a prestações interpretativas de alto gabarito, quanto a Waltz é simplesmente genial na interpretação que leva a cabo, explora ao máximo as características fisicas e psicológicas do personagem de forma unica.
Resumindo: Tarantino is back e vamos esperar que ele não se reforme tão cedo.

NOTA: Eli Roth (Cabin Fever, Hostel) entra no filme no papel de Donny Donowitz, a amizade entre os dois realizadores permanece.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Event Horizon


Em 2047, uma missão de resgate é enviada para encontrar a "Event Horizon", uma nave que desapareceu misteriosamente sete anos atrás, quando explorava os limites do sistema solar. Mas ao encontrá-la os astronautas que integram a missão de resgate vão gradualmente tomando consciência do terrível mistério que os cerca.

Filme do género de "Pandorum" mas, quanto a mim, muito melhor. Estamos perante um filme de 1997 com uma qualidade superior, acho que foi injustamente colocado "de lado" pois trata-se de um filme espectacular no que toca a cenários futuristas, dotado de uma exelente fotografia e condimentado com um suspense bem ao estilo de "Aliens". Quem visualize o filme , sem saber que é de 1997 ,pensa que está perante um filme actual pois os cenários e o ambiente futurista são soberbos.
Realizado por Paul W. S. Anderson mediatizado por filmes como "Resident Evil" e "Alien Vs Predator".
Recomendo vivamente especialmente para quem quer matar saudades de "Aliens".

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Pandorum

Em 500 anos a humanidade estará emigrando do Planeta Terra, pois ele estará morrendo, dois homens acordam numa nave espacial. Sem saber onde estão, qual a sua missão e quanto tempo passou, uma sensação imediata de vazio é substituída pelo medo, que logo se tornará em algo inimaginável. Com as poucas lembranças de factos passados nas suas vidas, eles terão que lutar pela sobrevivência de toda a raça humana.

Filme que se desenrola no ambiente claustrofóbico de uma nave espacial, género aliens. Tem Dennis Quaid como Payton, por sinal um dos meus actores favoritos, apoiado por um par de desconhecidos mas muito bons actores.
Um filme que não desaponta pela qualidade e velocidade da acção, não se perde muito em explicações e rápidamente se conclui a origem do "mal".
Com uma fotografia espectacular e uma caracterização muito boa não vai desanpontar os fãs da Sci-Fi assim como os fãs do terror.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

The Echo

O recém saído da prisão, em liberdade condicional, Bobby Reynolds (Jesse Bradford) tenta começar uma nova vida arranjando um emprego com Hector Rodriguez (Carlos Leon), o proprietário de uma oficina de reparação de automóveis, tentando reiniciar uma relação com a sua ex-namorada Alyssa (Amelia Warner), e mudando-se para o apartamento da sua mãe, desabitado desde a sua infeliz morte, quando ele ainda se encontrava na prisão. Depois de se instalar, é atormentado por estranhos acontecimentos no apartamento e encontros bizarros com os seus vizinhos; particularmente por Gina (Iza Calzado), pelo seu agressivo marido Walter (Kevin Durand), que é polícia, e pela sua filha Carly (Jamie Bloch). Quando começa a investigar, Bobby descobre que a sua mãe se tinha trancado no apartamento durante semanas antes de morrer e apercebe-se que a sua morte está ligada aos senhorios, que também o começam a perseguir. Enquanto luta para desvendar a verdade, terríveis segredos são revelados. Bobby tem de encontrar uma forma de lutar contra os ecos do passado, antes que o matem a ele e a todos os que ama.
In"CinemaPTGate"

Este é um filme com um argumento que já está mais do que batido, não vou aqui enumerar os filmes que recorrem à mesma historia pois teria um problema de espaço.
Não sei porque razão, no nosso país, esta película mereceu fazer parte do cicuito de distribuição!!! não sei porquê devido à qualidade, o filme é uma verdadeira chachada, no meu ponto de vista obviamente, sustos nem velos, desenrolar meloso que não consegue atingir picos que nos permitam despertar, actuações muito abaixo da média.
Como é costume, o filme tem uma qualidade: a fotografia.
Podiam ter escolhido outro filme de terror (agora é coisa que não falta) para integrar o circuito distributivo nacional.
A evitar.

domingo, 8 de novembro de 2009

Zombieland

O argumento é curtissimo: O planeta foi dizimado por um virus que transforma as pessoas em... (adivinharam) zombies. A malta sobrevivente dedica-se a mandar os zombies desta para melhor de várias formas e feitios com recurso à arma que estiver mais à mão.

A sequência inicial do filme é do melhor que já vi, começa com uma musica a "rasgar" e apresenta uma série de sequências da actividade zombie em câmara lenta, muito bom.
A partir dai o filme é sempre a abrir apelando, não tanto ao susto mas mais à gargalhada, é um festival humorístico do princípio ao fim.
A caracterização dos mortos vivos é muito boa, assim como as actuações do célebre Woody Harrelson e de Jesse Eisenberg.
Um filme a não perder, cuidado pois pode causar sindrome de boa disposição.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Mary and Max

Uma história de amizade entre dois dos mais improváveis correspondentes: Mary, uma criança de 8 anos que mora nos suburbios de Melbourne, e Max, um quarentão obeso e retardado que vive em Nova York.

Duas vidas completamente diferentes unidas pelo fio da tristeza que habita cada uma delas, este filme é uma história maravilhosa de uma simples amizade e os efeitos que esta tem na vida dos dois personagens, Mary e Max trocam ideias, conceitos e, acima de tudo, guloseimas por correspondência, criam assim um elo baseado na amizade e alicerçado nas condicionantes da vida de cada um. Por um lado temos o mundo ingénuo de uma criança, por outro temos o não menos ingénuo mundo de um retardado obeso, estes dois mundos encontram-se e passam a fazer parte um do outro.
Mary e Max vai muito além da qualidade da animação e apaixona-nos.
Destaque para a voz de Philip Seymor Hoffman na vocalização de Max.

domingo, 1 de novembro de 2009

Talentos Fantásticos 2009 - Antologia


A editora edita-me comercializa, a partir de amanhã, uma antologia de contos, poesias e ilustrações. O conteúdo da antologia foi o produto de um concurso promovido pela editora cujas categorias eram precisamente Contos, Poesias e Ilustrações dedicadas ao tema "Fantástico".
Dos contos seleccionados para publicação encontra-se um da minha autoria denominado "Rua Escura".
Consulte as listas com os resultados de cada categoria em http://edita-me.blogspot.com/ e, obviamente, não perca a oportunidade de comprar o livro no site da editora e ser detentor de uma bela obra bibliográfica (estou à espera do meu exemplar pelo que a crítica fica-se por aqui).
De 63 contos o meu ficou em 17.º o que me dá alento para produzir mais alguns devaneios literários, haja tempo...
Bons filmes e boas leituras.