quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz 2010


A todos um óptimo 2010 cheio de saúde, dinheiro e filmes terroríficos...

Dorian Gray

O filme desenvolve o enredo de "O Retrato de Dorian Gray" um romance de Oscar Wilde de 1890. Dorian Gray é um jovem aristocrático que se deixa envolver numa vida de vícios aproveitando ao máximo a vida, ele venera a sua beleza de tal forma que acaba por fazer um pacto com o Diabo no qual a permissa principal é o envelhecimento do retrato de Dorian em vez do seu fisico.

Não estamos perante um filme de terror puro e duro, as cenas assustadoras não estão presentes, mas o filme não deixa de ser interessante por isso pois consegue explorar muito bem o enredo de uma forma muito positiva suportando-se muito numa bela fotografia e cenários de época.
Um filme leve mas que consegue prender do princípio ao fim, uma agradável surpresa.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Were the Wild Things Are


O filme conta a história de Max, um rapaz indisciplinado e sensível que se sente incompreendido em casa e decide fugir para o sítio das Coisas Selvagens. Max vai ter a uma ilha onde encontra criaturas misteriosas e estranhas, cujas emoções são tão selvagens e imprevisíveis como as suas acções. As Coisas Selvagens procuram desesperadamente um líder para orientá-los, tal como Max anseia por um reino para governar. Quando Max é coroado rei, ele promete criar um lugar onde todos serão felizes. No entanto, cedo descobre que governar o seu reino não é tão fácil como parece e os seus relacionamentos tornam-se complicados.

Adaptação de um clássico da literatura infantil de Maurice Sendak's escritor nova iorquino. Transporta-nos para o mundo da imaginação onde se reflecte as vivências de um pequeno rebelde, ao explorar o seu mundo mágico Max vai descobrir um novo sentido para a sua vida.
Um filme que se estranha no início mas que logo se entranha, um desfilar emotivo com caracterizações maravilhosas dos "selvagens", veja este filme com o seu filho(a) e tente transmitir-lhe a filosofia da história.
Realizado pelo enigmático Spike Jonze.

BOAS FESTAS

Desejo a todos os leitores e colaboradores do meu Blog um Feliz Natal e um novo ano cheio de coisas boas, entre elas bons filmes de terror e fantásticos de preferência originais e nada de sequelas ou remakes.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Halloween II - Family is forever

Michael myers está de volta, desta vez novamente pela mão de Rob Zombie. A matança vai continuar, Myers vai perseguir a sua irmã obsesivamente, pelo meio vai cruzar-se com Dr. Loomis que acabou de publicar mais um livro sobre o serial killer e as suas vitimas.

A abordagem de Rob Zombie é completamente diferente do criador da saga Halloween, o mestre John Carpenter. Zombie filma de modo cru, cria ambientes completamente repugnantes do início ao fim, não existe um cenário limpo pois todos estão impregnados por uma sugidade intrinseca ao próprio filme, é quase como filmar numa casa de banho pública que não vê uma esfregona à meses.
Neste ambiente mórbido temos um Myers mórbido que até (novidade) dá urros à medida que enterra repetidamente a sua lâmina nas vítimas.
Não existe muito consenso quanto aos remakes realizados por zombie, a maioria diz mal, na minha opinião gosto. Não gosto de comparar os H's de Zombie com os de Carpenter, pois são completamente dispares no que toca a caracterização, fotografia, abordagem...
Vamos esperar pelo remake de Rob Zombie do filme "Blob" (um dos meus favoritos), resta a dúvida se Zombie vai fazer uma sequela do Blob original de 1958 ou do remake de 1988 de Chuck Russel.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Carriers

Quatro amigos fogem de uma inevitavel contaminação por um vírus que já dizimou grande parte do planeta...

Estamos perante um filme que não pode estar desligado da gripe A (H1N1), a ligação do filme a uma eventual realidade (completamente disparatada) surge pelo facto dos media não fazerem mais nada ultimamente senão abordar a questão de uma EVENTUAL pandemia gripal, deixa a sensação de ser um filme criado unicamente para realçar ainda mais este tema.
Uma espécie de road movie onde o inimigo é etéreo, imagine o "zombieland" sem os zombies e sem o humor... é "Carriers".
As actuações são boas e acima da média global do filme.

domingo, 6 de dezembro de 2009

2012

Alguns séculos atrás, os Maias deixaram-nos o seu calendário com uma data para o fim do mundo. Desde então os numerólogos encontraram padrões que prevêem esta catástrofe, os geólogos dizem que a terra vai dar de si, e nem mesmo os cientistas podem negar o cataclismo de proporções épicas que nos espera em 2012. Uma profecia que começou com os Maias já foi vastamente discutida, falada, desmontada e analisada. Em 2012 saberemos. Nós fomos avisados.

Roland Emmerich está de volta com mais um filme catástrofe, desta vez com uma profecia Maia como pano de fundo. Óbviamente todo o filme está suportado numa enxorrada de efeitos especiais de regalar o olho, a acção fica assim acelerada tendo só como pontos mortos as cenas dedicadas à lamechice do costume.
A receita já foi amplamente explorada, contudo este tipo de filme gera sempre grandes quantias porque se tornam em espectaculos visuais que só devem ser apreciados no cinema, de preferência digital.
Como cabeça de cartaz temos o conhecido John Cusack que presta aqui uma prestação limpa sem anotações negativas nem muito positivas, relativamente ao resto do elenco é o exigido não conseguindo enfatizar nenhuma prestação.
Dany Gloover encarna o papel de Presidente dos EUA.
Vale, sem dúvida, pelos FX's.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

The Final Destination

Depois de um adolescente ter uma premonição de uma corrida de carros mortal, ele salva a vida dos seus amigos. Mas a Morte embarca para matar todos aqueles que escaparam do seu Destino.
[por rui fernandes In CinemaPTGate]

Quarto filme da saga "Final Destination" desta vez em 3D. Adorei o primeiro filme da saga, contudo o descalabro foi acontecendo com cada nova estreia, este é sem dúvida o pior de todos, espero bem que fiquem por aqui.
Não passa de um desfilar de mortes forçadas pelo ceifador, o filme inventa demais e recorre a cenas supostamente fortes para se fazer sobresair, apesar de tudo não traz nada de novo.
As actuações são coincidentes com o filme: más.
Básicamente um slasher teenager sem nada de apelativo.