domingo, 6 de dezembro de 2009

2012

Alguns séculos atrás, os Maias deixaram-nos o seu calendário com uma data para o fim do mundo. Desde então os numerólogos encontraram padrões que prevêem esta catástrofe, os geólogos dizem que a terra vai dar de si, e nem mesmo os cientistas podem negar o cataclismo de proporções épicas que nos espera em 2012. Uma profecia que começou com os Maias já foi vastamente discutida, falada, desmontada e analisada. Em 2012 saberemos. Nós fomos avisados.

Roland Emmerich está de volta com mais um filme catástrofe, desta vez com uma profecia Maia como pano de fundo. Óbviamente todo o filme está suportado numa enxorrada de efeitos especiais de regalar o olho, a acção fica assim acelerada tendo só como pontos mortos as cenas dedicadas à lamechice do costume.
A receita já foi amplamente explorada, contudo este tipo de filme gera sempre grandes quantias porque se tornam em espectaculos visuais que só devem ser apreciados no cinema, de preferência digital.
Como cabeça de cartaz temos o conhecido John Cusack que presta aqui uma prestação limpa sem anotações negativas nem muito positivas, relativamente ao resto do elenco é o exigido não conseguindo enfatizar nenhuma prestação.
Dany Gloover encarna o papel de Presidente dos EUA.
Vale, sem dúvida, pelos FX's.

Sem comentários: