quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Let me in

Abby é uma misteriosa miúda de 12 anos que se muda para a casa ao lado de Owen. Owen, para além de socialmente excluído, é fortemente perseguido na escola e, na sua solidão, forma uma profunda ligação com a nova vizinha. Sem deixar, no entanto, de reparar que Abby é diferente de todas as pessoas que conhece. À medida que uma série de estranhos homicídios acontecem na cidade, Owen tem que encarar o facto de que a, aparentemente, inocente nova amiga é, na realidade, uma selvagem vampira.

Finalmente um remake que vale a pena ver...
Este filme é uma cópia de um filme Finlandês de 2000, com o mesmo título. O original é espectacular e explora de uma forma única a corrup
ção da inocência, focando também um tema tão em voga: o Bullying, o ambiente é pesado, gélido e as actuações são soberbas, apesar de estarmos perante "pequenos" actores.
O realizador de Cloverfield teve a seu cargo esta adaptação, o filme segue ipsis verbis o original mas consegue ser muito bom, não pela qualidade dos efeitos especiais (mais requintada) mas também pelo ambiente claustrofóbico iniciado no primeiro filme, as actuações estão, mais uma vez, ao nível do filme.
Dois filmes a ver, preferencialmente de seguida.

domingo, 16 de janeiro de 2011

A Serbian Film

Um ex actor porno precisa de dinheiro e de voltar ao activo para recuperar sensações perdidas, oportunidades que surgem com uma nova proposta de trabalho. Milos embarca assim numa odisseia de violência na qual ele jamais imaginaria entrar...

Quando vi o filme não tinha conhecimento da reputação que o envolvia, quando terminei (consegui ver até ao fim!!!) fiquei tão chocado que fui logo pesquisar a matéria.
Como o próprio nome indica, o filme é Sérvio. São aqui abordados temas tão fortes como mutilações, snuff movies, pedofília, incesto...
Enquanto amante do género de terror já assisti a filmes muito, mas mesmo muito, fortes, mas este consegue bate-los todos, jamais tinha visto algo assim tão chocante, tão directo, tão cru.
O filme foi banido de dois festivais de cinema (Espanha e Inglaterra) por cá acho que nem vão falar nele quanto mais distribuí-lo.
O filme não deve ser visto por pessoas impressionáveis pois poderão ficar afectadas e "marcadas" por tanta violência fisica e psicológica, logo está direccionado para maiores de 18 anos, embora eu julgue que só deveria ser visto por maiores de 18 anos que passassem numa bateria de testes psicossociais.
Eu sei que o facto de se escrever tanto a chamar a atenção para o filme vai fazer com que muita gente corra a vê-lo, mas se é impressionável por favor não veja.
O pior dos piores, pior até do que o mítico Saló ou os 120 dias de Sodoma.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Rammbock


Kai chega de surpresa a casa da sua namorada com o intuito de reatar a relação amorosa. O que o espera não é amor mas sim uma estirpe viral que invade as pessoas transformando-as em mortos vivos.

Pelo argumento é claríssimo que estamos perante mais um filme de zombies, mortos-vivos, ou lá como lhes queiram chamar, a surpresa é o País natal deste filme: Alemanha.
Pois é amigos, estamos perante um filme de terror germânico, existirá aqui alguma associação dissimulada com a crise europeia...
Obviamente o filme não goza do poderossíssimo orçamento para efeitos especiais dos gringos, contudo, e eis a surpresa, o filme é muito bem conseguido a vários níveis: ambiente, cenografia, efeitos especiais. Peca só por algumas representações que são pouco conseguidas.
No geral o filme é bom e, para mim, foi uma agradável surpresa, pese aqui também o facto de eu ser um Zombie adict.